domingo, 1 de novembro de 2015

#GirlPower: Vamos falar sobre feminismo?

Nada melhor do que começar novembro com tudo novo por aqui! Essa era uma surpresinha que eu já estava preparando à algum tempo pra vocês e, claro, eu não estava sozinha nessa. A nova id ma-ra-vi-lho-sa do Blog da Lari é da minha amiga e talentosíssima Tamilis Oliveira, do @tamilustras (quem ainda não segue, não dá bobeira, corre logo pra acompanhar as belezuras que ela faz!), e o novo layout do blog ficou por conta do meu amigo e também talentosíssimo Sol Funcional, que faz parte da equipe do nosso parceiro Tipo Assim.

Eu ainda tô bem boba com o resultado, suuuper apaixonada por tudo. E vocês, o que acharam? Mas, melhor que tudo isso, é começar o mês falando de um assunto muito importante aqui e que merece, sim, todo o destaque que vem recebendo nos últimos tempos: o feminismo.

Você já ouviu falar em empoderamento e sororidade?


O empoderamento tem a ver com alcançar poder, conquistar condições e capacidades que antes não eram dadas. Já a sororidade é um acordo realizado entre as mulheres, onde elas passam a se reconhecer irmãs, formando um grupo político e ético na luta pelo feminismo contemporâneo.

As duas palavrinhas nos querem dizer muito, muito sobre nós e muito sobre o outro. Isso porque você, mulher, tem sim o poder de ser quem quiser, de fazer o que quiser, sem medo e sem julgamento. Mulher é a própria dona de si e ninguém mais. E também porque só as mulheres sabem o que de fato as mulheres sofrem. São inúmeros casos de assédio por dia, humilhações em ambientes de trabalho masculinizados, repreensões da própria sociedade sobre o que vestir, o que fazer, etc, etc. Então, nada melhor do que dar as mãos e apoiar umas às outras.

Diante de tantas coisas absurdas que aconteceram nos últimos dias, três movimentos do bem balançaram com as estruturas da internet e virem mostrar que as mulheres não vão mais abaixar a cabeça pra esses abusos!

O primeiro deles é o Vamos Juntas?, ideia da jornalista Babi Souza. O movimento é uma solução colaborativa pros problemas de insegurança que as mulheres passam diariamente. Sabe aquela situação de risco, aquela rua deserta que você precisa atravessar, a parada de ônibus não muito convidativa que você tem que ficar? Em todas essas situações, talvez tenho uma outra mulher por perto, se sentindo tão insegura quanto você. Então, que tal irem juntas? Simples, né? Mas, acreditem, pode fazer muita diferença! Na fanpage, a gente encontra milhares de depoimentos super inspiradores de quem já adotou a prática. Nada melhor do que uma proteção mútua pra andar na rua!


O outro é o #PrimeiroAssedio que foi motivado pela repercussão assustadora do programa MasterChef Júnior nas redes sociais. Dessa vez, os comentários tiveram um teor altamente sexual, destinados a uma das participantes, Valentina, de apenas 12 anos (!!!!!). Esses comentários doentios e nojentos (não tem como não chamar de outra coisa) só serviram pra mostrar a cultura do estupro que ainda persiste na nossa sociedade e acabou motivando a participação de várias mulheres a contarem as primeiras vezes que foram assediadas. É comum encontrar relatos de mulheres que foram assediadas sendo ainda mais novas que Valentina e por caras mais velhos, amigos da familia, vizinhos e desconhecidos. É revoltante, mas, infelizmente, é comum ver que quase todas as mulheres têm uma história dessas pra compartilhar.




Por fim, o #VamosFazerUmEscândalo. Ainda sobre o caso da Valentina, do MasterChef Júnior, a youtuber Jout Jout Prazer resolveu propor que não ficássemos mais quietas pra esses tipos de crime (sim, porque assédio e abuso sexual são crimes!). Já não dá mais pra ficar em silêncio, ter vergonha, nada disso. A gente tem que fazer escândalo, sim! Chega de medo! Tem que gritar, tem que denunciar! Só não podemos deixar tudo isso sair impune. Se você sofrer assédio, procure a Delegacia da Defesa da Mulher da sua cidade.


Ao mesmo tempo em que é assustador ver que os casos de assédio normalmente acontecem em meninas de 8, 9 anos e vem muitas vezes justamente de alguém próximo da família, é verdadeiramente lindo ver tanta mulher se libertando dessa prisão, botando tudo isso pra fora e se mostrando disposta à não se calar, à fazer um escândalo, literalmente. E nada melhor do que fazer tudo isso juntas. Isso é incrível e, sim, nós estamos de parabéns! 

Um comentário: